Você sabe realmente o que é um Colapso Nervoso?

Compartilhe

O que é um colapso nervoso?

Colapso nervoso é um termo que às vezes é usado para descrever sintomas de intenso sofrimento mental e emocional. Esses sentimentos dificultam ou mesmo impossibilitam o funcionamento normal da vida de muitas pessoas e impede a realização das tarefas diárias.

Muitos equívocos cercam o termo “Colapso Nervoso“. Embora seja frequentemente usado para descrever períodos em que o funcionamento normal é interrompido por estresse extremo, o termo não é considerado uma condição psiquiátrica real ou diagnóstico médico.

Você sabe realmente o que é um Colapso Nervoso?
Photo by Karolina Grabowska on Pexels.com

Em vez disso, o termo esgotamento nervoso é um termo geral coloquial com a intenção de descrever sintomas que podem representar várias condições psiquiátricas diferentes. A principal característica de um “colapso nervoso” é que os sintomas são intensos e tornam muito difícil para a pessoa funcionar normalmente.

Sintomas

O termo esgotamento nervoso não possui significado clínico, porém há uma série de sintomas físicos e mentais que estão frequentemente associados a esses períodos de sofrimento intenso que uma pessoa pode apresentar. Estes incluem :

  • Ataques de ansiedade ou pânico
  • Depressão
  • Dificuldade em dormir
  • Entorpecimento emocional
  • Sentimentos de doença física
  • Falta de interesse nas atividades
  • Baixa motivação
  • Mudanças de humor
  • Retraimento social
  • Dor de estômago
  • Dificuldade de concentração

Como o colapso nervoso é um termo nebuloso, pode indicar sintomas de qualquer coisa, desde depressão a ansiedade e esquizofrenia. O uso do termo frequentemente sugere que uma pessoa está tendo muitos problemas para lidar com a situação e “saiu” de sua rotina normal. Eles podem ter parado de se socializar ou podem ser incapazes de administrar rotinas diárias de autocuidado, incluindo se alimentar, sair da cama ou tomar um banho por exemplo.

Veja também > 8 Dicas de como Diminuir os Sintomas da Depressão

Os sintomas que as pessoas experimentam durante uma “crise” podem variar de leves a muito mais graves. Algumas pessoas podem ter pensamentos suicidas ou automutilação durante um período de esgotamento.

Causas Comuns do Colapso Nervoso

Existem vários fatores que podem contribuir para o que é conhecido como colapso nervoso. As condições de saúde mental antes do colapso normalmente costumam ser um fator preponderante, mas os estresses da vida muitas vezes também desempenham um papel de gatilho mental que produz esse efeito devastador.

Às vezes, esse estresse é tão crônico que parece aumentar com o tempo, até que a pessoa simplesmente não consegue mais suportar. Em outros casos, as situações de crise podem desencadear um período agudo de intenso sofrimento que leva a sintomas de colapso.

Alguns fatores que podem contribuir para um colapso incluem:

  • Abusos
  • Problemas ou pressões acadêmicas
  • Morte de um ente querido
  • Divórcio
  • Problemas financeiros
  • Perda de emprego
  • Em movimento 
  • Trauma
  • Estresse relacionado com o trabalho

Embora algumas pessoas sejam capazes de lidar com essas lutas, outras podem ser menos resistentes quando enfrentam estresse extremo. Pessoas com baixa estima e pouca habilidade de enfrentamento, falta de autocuidado e baixo suporte social, são alguns dos motivos que levam ao possível colapso nervoso. Alguns mecanismos de enfrentamento prejudiciais à saúde e doenças mentais não tratadas também podem contribuir para o colapso.

Origens

De acordo com a Dra. Nwayieze Chisara Ndukwe, pesquisadora de psiquiatria do Mount Sinai Beth Israel, o termo “colapso nervoso” ganhou popularidade no início do século XX, pois geralmente era usado para descrever uma grande crise pessoal de quase qualquer tipo”, diz ela.

Você sabe realmente o que é um Colapso Nervoso?
Photo by Amir SeilSepour on Pexels.com

Ela continua explicando que “após a Primeira e a Segunda Guerras Mundiais, quando os médicos tiveram que tratar o enorme tributo psicológico sofrido pelos combatentes, o foco mudou das instituições mentais para uma perspectiva mais clínica. Além disso, foi desenvolvido um modelo de doença que se propunha a explicar ‘colapsos nervosos’ que mais tarde seriam chamados de ‘distúrbios psicológicos‘, encontrados pelos soldados ”. 

Interessante >> 16 Maneiras Simples de Aliviar o Estresse e a Ansiedade

Ela diz que isso mais tarde daria origem ao Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais ( DSM ), o manual que os psiquiatras usam para auxiliar no diagnóstico de problemas de saúde mental. “O DSM então deu nomes específicos a distúrbios específicos que, no passado, seriam classificados como ‘colapso nervoso’. À medida que a saúde mental se tornou mais compreendida e menos estigmatizada, a exposição da população em geral e a adoção desses termos mais específicos (depressão, ansiedade, ataque de pânico, etc.) tornaram-se mais comuns. ” 

Por fim, ela observa que “agora sabemos que há várias situações, fatores genéticos e experiências que são mais comumente associadas a um declínio no funcionamento e resultam em um ‘colapso nervoso’, mas também há vários fatores que são desconhecidos.”

Veja mais em : Os Poderosos Efeitos Cognitivos da Narrativa Positiva

Hoje, o termo “colapso nervoso” não tem significado ou valor clínico. É frequentemente usado como um termo leigo para descrever períodos em que as pessoas experimentam sintomas de angústia severa. Infelizmente, esse uso frequentemente descarta a turbulência emocional das pessoas de uma forma que é pejorativa ou mesmo estigmatizante.

O uso do termo colapso nervoso diminuiu após a década de 1960. Embora esteja desatualizado, ainda é frequentemente usado como bordão para se referir a angústia emocional ou psicológica – geralmente por pessoas não familiarizadas com saúde mental. 

Fenômenos Mentais

Existem alguns outros termos e frases relacionados ao termo esgotamento nervoso que costumam ser usados ​​como sinônimos.

woman in green and white stripe shirt covering her face with white mask
Photo by Nandhu Kumar on Pexels.com

‘Doenças nervosas’

O fisiologista russo Ivan Pavlov é considerado um dos primeiros cientistas a demonstrar a mensurabilidade dos fenômenos mentais. De acordo com a Academia de Ciências de Nova York, ele deu “um ímpeto tremendo ao estudo de fenômenos que antes haviam sido designados como psíquicos e inadequados para exploração pela metodologia científica“.

Veja também > O que é Ansiedade Social e quais seus Sintomas

No final do século 19, por meio de seus famosos experimentos envolvendo salivação em cães em resposta ao toque de um sino, ele foi capaz de relacionar os efeitos fisiológicos, ambientais e intrapsíquicos em nosso sistema nervoso (por exemplo, batimento cardíaco acelerado como sintoma em transtornos de ansiedade ou fobias específicas).

Na mesma época, termos como “doença nervosa“, “exaustão nervosa” e “esgotamento nervoso” acabariam entrando no vocabulário cotidiano. 

‘Colapso ‘

O termo “colapso” foi registrado pela primeira vez em 1825 como uma forma substantiva de “doença da cabeça”.  Hoje, é frequentemente usado para descrever um colapso mental no qual o funcionamento normal de uma pessoa está gravemente prejudicado.

A importância da Terminologia

Essencialmente eliminado pela medicina moderna e substituído pelo DSM e pela psicofarmacologia, o uso do termo “colapso nervoso” é um resquício de uma época em que pouco se compreendia sobre a doença mental e serve como um lamentável lembrete da ignorância que continua a permear sociedade.

“À medida que os campos da saúde mental avançam, criamos termos científicos, válidos e significativos para problemas e transtornos de saúde mental”, disse a Dra. Katie Davis. “Agora, quando falamos sobre depressão, podemos rotular o distúrbio em si e podemos descrever os sintomas específicos, como insônia, pensamentos suicidas, perda de energia e problemas de sono.”

Interessante >> 16 Maneiras Simples de Aliviar o Estresse e a Ansiedade

Davis enfatiza a importância de usar uma terminologia adequada e específica para reduzir o estigma dos problemas de saúde mental e adquirir o hábito de falar sobre esses transtornos de forma aberta, honesta e objetiva. “A linguagem que usamos para descrever os transtornos mentais pode manter ou reduzir o estigma associado aos transtornos mentais”, diz Davis. “Precisamos escolher nossas palavras com precisão.”

Tratamento

Quando as pessoas procuram tratamento para um “colapso nervoso”, geralmente é porque estão apresentando sintomas graves que requerem intervenção imediata. Em casos graves, a hospitalização pode ser necessária para estabilização imediata e de curto prazo e, então, terapia e medicamentos de longo prazo podem ser utilizados. Em outros casos, o tratamento ambulatorial é suficiente para ajudar a pessoa a controlar e lidar com seus sintomas.

woman girl morning reflection
Photo by cottonbro on Pexels.com

O tipo exato de tratamento usado depende do diagnóstico da pessoa. O tratamento pode envolver aconselhamento individual, terapia de grupo, terapia familiar, terapia cognitivo-comportamental ou alguma outra forma de psicoterapia. Medicamentos psicotrópicos como antidepressivos, estabilizadores de humor e antipsicóticos também podem ser prescritos isoladamente ou em conjunto com a terapia.

Lidar

Se estiver experimentando sintomas psicológicos ou comportamentais de angústia, há algumas coisas que você pode fazer.

  • Fale com seu médico. Seu médico de cuidados primários pode realizar um exame físico e conduzir testes de laboratório para ajudar a descartar quaisquer condições médicas subjacentes que possam estar causando seus sintomas.
  • Experimente a terapia. Seu médico pode encaminhá-lo a um terapeuta que pode ajudá-lo com seus sintomas com psicoterapia.
  • Considere os medicamentos. Alguns sintomas, como ansiedade e depressão, podem responder bem a antidepressivos e medicamentos ansiolíticos.
  • Gerenciar seu estresse. Experimente técnicas de gerenciamento de estresse, como respiração profunda, relaxamento muscular progressivo, ioga, meditação e atenção plena para ajudá-lo a relaxar e manter seus níveis de estresse sob controle.
  • Descanse o suficiente. Pode ser difícil lidar com a situação quando você está exausto. Concentre-se em ir para a cama no mesmo horário todas as noites e em acordar no mesmo horário todos os dias. Evite eletrônicos ou atividades estimulantes na hora de dormir.
  • Cuide-se. Coma alimentos saudáveis ​​e nutritivos e pratique atividades físicas regulares para manter sua saúde física e mental.

Não é incomum que as pessoas lutem para lidar com o estresse da vida. Quando o estresse começa a interferir em sua capacidade de funcionar, pode ser um sinal de um problema de saúde mental ou de que você precisa de ajuda para encontrar maneiras de lidar com a situação. 

Se você ou alguém que você ama está apresentando sintomas do que às vezes é conhecido como colapso nervoso, não tenha medo de falar com seu médico. 

Uma palavra de Ajuda

Embora apenas um profissional de saúde mental treinado possa fornecer um diagnóstico, ler e buscar ajuda sobre os seus sintomas ajudará a informar se o que você está sentindo é típico de transtorno relacionado a sua saúde mental.

Você sabe realmente o que é um Colapso Nervoso?
Photo by Tristan Le on Pexels.com

Se você achar que seus sintomas correspondem podem estar relacionados a qualquer tipo de transtorno seja ele emocional, mental ou físico, saiba que há ajuda disponível. Obter ajuda pode parecer difícil no início, mas será um passo na direção certa e valerá a pena no final.

Em todo o caso se você já estiver em tratamento e deseja conversar com alguém sobre o seu problema, o site BetterHelp.com poderá lhe ajuda com pessoas dedicadas a escutar você.


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

google.com, pub-2805716833148691, DIRECT, f08c47fec0942fa0