O calendário de pagamentos do Auxílio Brasil de novembro vai ser antecipado? Veja como se inscrever!

O calendário do Auxílio Brasil de novembro vai ser antecipado, como aconteceu em agosto e outubro? Essa pergunta está sendo feita pela maioria dos beneficiários do programa social do Governo Federal.

Em outubro, todos ficaram surpresos com o anúncio da antecipação do calendário do Auxílio Brasil. A mudança aconteceu entre as datas do primeiro e segundo turno da eleição presidencial.

Coincidência ou não, na prática, o que os cidadãos mais carentes estão querendo saber é: “Quando o Auxílio Brasil de novembro vai ser depositado?”.

Auxílio Brasil de novembro vai ser antecipado?

Até o momento não há nenhuma informação oficial sobre uma possível antecipação do calendário de pagamentos, no entanto, é preciso ficar atento para não ter o seu Auxílio Brasil bloqueado.

O Ministério da Cidadania está removendo milhares de famílias do Auxílio Brasil que não atualizaram o Cadastro Único ou que não estão seguindo as regras de elegibilidade do programa.

Mesmo com as remoções, mais de 20 milhões de beneficiários recebem os valores do Governo Federal. A expectativa é que o número continue crescendo.

Como entrar no Auxílio Brasil?

Podem entrar no Auxílio Brasil as famílias que se enquadram nas linhas de pobreza extrema e pobreza, comprovando uma renda familiar mensal per capita entre R$ 105 a R$ 210.

Além disso, também podem receber os pagamentos os seguintes públicos:

  • Se já tinha o Bolsa Família: Auxílio Brasil será pago automaticamente;
  • Se está no CadÚnico, mas não recebia o Bolsa Família: vai para a lista de reserva;
  • Se não está no CadÚnico, é preciso buscar um Cras para registro, sem garantia de receber.

É importante destacar que a família deve conter algum desses componentes:

  • Crianças;
  • Gestantes;
  • Mães que ainda estão em processo de amamentação;
  • Adolescentes;
  • Jovens entre 0 a 21 anos incompletos.

Como funciona a inscrição no Auxílio Brasil?

A família deve apresentar uma renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa, ou seja, R$ 606,00 ou três salários mínimos como renda familiar, R$ 3.636,00.

Para se inscrever no CadÚnico é preciso:

  • Ter uma pessoa responsável pela família para responder às perguntas do cadastro. Essa pessoa deve fazer parte da família, morar na mesma casa e ter pelo menos 16 anos.
  • Para o responsável pela família, de preferência uma mulher, é necessário o CPF ou Título de Eleitor.
  • Exceção: no caso de responsável por famílias indígenas e quilombolas, pode ser apresentado qualquer um dos documentos abaixo. Não precisa ser o CPF ou o Título de Eleitor.

Também é preciso levar um dos documentos de cada membro da família, como:

  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão de Casamento;
  • CPF;
  • Carteira de Identidade (RG);
  • Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena (RANI);
  • Carteira de Trabalho;
  • Título de Eleitor;
  • Comprovante de residência atual.
Ariel França

Ariel França é graduado em Jornalismo pela Universidade do Grande Rio Professor José de Souza Herdy (Unigranrio) e pós-graduado em Direito Administrativo e Gestão Pública pela Faculdade Unyleya. Possui mais de 10 anos de experiência em produção de conteúdo para web. No portal FDR, atua na redação e produção de vídeos e Web Stories.

Via > FDR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *