Pesca sustentável: novos requisitos e melhorias nas práticas de pesca

Compartilhe

Os requisitos do Padrão de Pesca MSC são revistos periodicamente para refletir as melhores práticas existentes na gestão da pesca.

O MSC Fisheries Standard é o principal esquema internacional para pescaria sustentável. Atualmente lá 446 pescarias certificadas de acordo com esta norma, o que representa 17% das capturas mundiais de peixes selvagens no mar.

A atual revisão do Padrão de Pesca foi iniciada em 2018 por meio de um processo de consulta às partes interessadas, o mais extenso já realizado pelo MSC, com mais de mil participantes.

Após o Conselho de Administração do MSC aprovar a minuta da Norma, o procedimento agora entra em sua fase final e está sujeito a revisão pública por 60 dias.

A Norma proposta coleta importantes melhorias que servirão para garantir que as pescarias certificadas pelo MSC continuem a ser consideradas líderes mundiais em sustentabilidade.

Esta revisão do Padrão é o resultado de 16 projetos abrangentes nos quais foram realizados amplos estudos e consultas às partes interessadas, muitos dos quais incorporam análises independentes relacionadas à gestão pesqueira.

pesca sustentável

Porto de pesca.

Propostas padrão de rascunho

Espécies em perigo, ameaçado e protegido (PAP)

Novos requisitos ao redor Espécies Ameaçadas, Ameaçadas e Protegidas (PAP), com a incorporação de um novo método para catalogar a espécie como PAP. Neste método, a abordagem de conservação marinha e a abordagem de gestão da pesca são combinadas para identificar as espécies e populações que precisam de maior proteção. Com isso, espera-se que as medidas de proteção sejam mais seletivas e que as pescarias eliminem ou reduzam seu impacto nas espécies em questão para que suas populações possam se recuperar.

Barbatana de tubarão

O barbatana de tubarão que é definido como remover as barbatanas de tubarão e jogar as carcaças no mar já é proibido em pescarias certificadas pelo MSC. Mas, para fortalecer ainda mais os requisitos existentes, as pescarias que mantêm tubarões a bordo serão obrigadas a adotar o padrão “barbatanas presas” de manter as barbatanas naturalmente presas ao corpo (Barbatanas naturalmente anexadas, FNA) sem exceção. A regra da FNA significa que qualquer pescaria que retenha tubarões a bordo deve desembarcar todos eles com as barbatanas presas ao corpo. Esta proposta é baseada em diferentes consultas e estudos independentes que indicam que o padrão FNA é a opção mais viável para garantir que o barbatana de tubarão.

pesca fantasma

Os requisitos do MSC relativos artes de pesca perdidas ou abandonadas no mar serão mais rigorosas para evitar a pesca fantasma. As pescarias devem adotar um conjunto de medidas de gestão que evitem a perda das suas artes de pesca e que reduzam o seu impacto em caso de perda ou abandono. Esta é uma tentativa de minimizar o risco de que qualquer organismo marinho possa acidentalmente ficar preso ou enredado em artes de pesca perdidas.

Avaliação da Pesca

Para tornar as avaliações mais eficientes, procedemos à redução, na medida do possível, o complexidade do Padrão. Embora o nível de desempenho exigido das pescas continue a ser mantido, a Norma foi revista na sua totalidade de forma a simplificar a linguagem, eliminar ambiguidades e reduzir o número de indicadores utilizados para avaliar as pescarias, resultando numa redução do número total dos aspectos de pontuação.

pesca sustentável

Inúmeras populações de peixe estão em processo de extinção.

Sobrepesca nos oceanos

“Nos últimos 30 anos, vimos um progresso significativo em torno da pesca sustentável. Novos avanços em ciência, tecnologia e regulamentação transformaram a maneira como pescamos e gerenciamos nossos recursos marinhos. No entanto, o sobrepesca continua e os nossos oceanos continuam a deteriorar-se.

Dr. Rohan Currey, Diretor de Ciência e Padrões do Marine Stewardship Council

Outras propostas que podem ser revisadas, além das já mencionadas, são aquelas relacionadas a estratégias e regras de controle de captura, bem como requisitos relacionados a habitats e ecossistemas.

Via > ConcienciaEco


Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

google.com, pub-2805716833148691, DIRECT, f08c47fec0942fa0